sexta-feira, 28 de maio de 2010

Detalhes de 617/618 - "The End" - Series Finale

Esse é, provavelmente, o último texto com uma análise sobre um episódio de LOST. Me sinto feliz de ter chegado aqui com vocês. Desse blog ter dado certo e ter agradado tanta gente que sempre nos visitou. Foi muito bom esse tempo em que passamos juntos e discutimos LOST. Por alguns momentos queria prorrogar mais a liberação desse post...

Como já disse nos textos anteriores, achei o Final de LOST excelente. Achei épico! Muita gente não gostou, muitas outras tiveram a mesma sensação que tive. LOST ficará viva para sempre, enquanto não soubermos que a Ilha afundou...

Nos detalhes abaixo, tentei pegar os principais pontos do episódio e mais algumas coisas que achei importante relembrar de temporadas passadas para ficar mais clara a visão que tivemos do episódio.

Espero que gostem dos detalhes e que participem nos comentários deixando alguma coisa que vocês tenham percebido.

- "Tudo foi real!" As frases de Christian Shephard para Jack nos Sideways, nos mostrou que eles não morreram quando o Oceanic 815 caiu, tão pouco quando Juliet explodiu a Jughead. Christian deixa isso claro quando diz à Jack que "Tudo que já aconteceu com você é real. [...] Todos morrem um dia, filho. Alguns deles antes de você, alguns muito depois.". Acho que essa conversa esclarece o assunto, mas acredite naquilo que você acha melhor. O importante é que tenha tido uma grande experiência nos últimos 6 anos...

- Sideways: Primeiro temos que encarar os Sideways como uma resposta, não como o Final de LOST. Foi a conclusão do mistério criado na 6ª temporada e que nos confundiu até o final, nos fazendo pensar que era uma "realidade alternativa", quando na verdade os losties estavam mortos!
O que a série nos quis nos mostrar é que, de alguma forma, todos nós estamos ligados a algumas pessoas durante nossa vida. Ligados as pessoas presentes na "parte mais importante" de nossas vidas. Essa idéia tem muito do Hinduísmo e é misturado com várias outras idéias de outras religiões, que é exatamente o que vemos na sala onde Christian explica para Jack o que está acontecendo. Nas paredes, o vitral, tudo tem referência a várias religiões. Tivemos uma referência sobre isso no Templo, com as imagens nas paredes externas.


- "Let go!": Uma das expressões-chave desse final foi "let go", que pode ser traduzido de diferentes maneiras para o Português, de acordo com o contexto. As legendas optaram por "esquecer". No entanto, eu usaria "desapegar", que inclusive é um termo recorrente da doutrina espírita, à qual LOST fez uma clara alusão. De qualquer maneira, a mesma expressão foi usada logo nas primeiras cenas da temporada, no diálogo entre Jack e Rose dentro do avião. Depois de passarem pela turbulência, Rose diz a um assustado Jack: "It's OK, You can let go", referindo-se ao braço da poltrona. As legendas traduziram como "soltar/largar" - algo bem mais próximo de "desapegar" do que de "esquecer", não é? Mas o importante é que foi a mesma expressão. E claro, Jack a usa também ao tentar convencer Locke a se deixar operar, no "sideways". Tenho a impressão que isso já era uma dica, muito sutil.
Outra referência que me chamou a atenção foi no episódio "The Package" em que Jack conversa com Sun, prometendo-lhe que iria tirá-la da ilha. Na horta que Sun havia plantado 3 anos antes todas as plantas estavam mortas, porém Jack encontra um tomate vivo e diz o seguinte: "Encontrei um tomate teimoso. Ninguém o avisou que ele deveria morrer". Adivinha quem era o tomate teimoso da história, que relutou até o último instante em aceitar que já tinha morrido? Pois é, Jack Shephard.


- Eloise Hawking: Quando Eloise, nos Sideways, que alguém mudou a forma como Desmond vê as coisas e o manda parar, fica agora muito fácil de entender. Ms. Hawking já sabia o que significava aquele lugar, mas não queria ir embora. Ficar com seu filho era o que queria, para tentar compensar o fato de ter matado Daniel na Ilha. Essa mesma hipótese poderia inclusive explicar porque em "Flashes Before Your Eyes", episódio da terceira temporada, Eloise demonstra saber o que deveria acontecer no futuro. Aquilo seria um contato de Desmond com o além-vida e com uma Sra. Hawkings já consciente de tudo o que se passou.


- Os reencontros: Como já tínhamos pensado aqui no blog, os flashes que os personagens tinham nos Sideways eram motivados por alguma emoção ou conexão com uma pessoa ou momento importante que os losties viveram. O que fez dos reencontros deles, um grande flashback e uma homenagem aos fãs que puderam relembrar também momentos marcantes da série.


- A explosão da Jughead: Quando Juliet explodiu a Jughead, pensamos que esse momento havia criado a "realidade paralela". Mas não, apenas realocou os losties no espaço-tempo. Faraday tinha falado que os losties "não pertenciam" àquele lugar, àquele tempo. A morte de Juliet e suas últimas palavras "Funcionou", faziam menção ao fato de que eles realmente conseguiram ter paz - seja lá onde for - e também antecipavam o diálogo que ela teve com Sawyer no reencontro pós vida.


- O Monstro: Repararam que a fonte de luz faz uns sons parecidos com o da fumaça negra? E também que aquela espécie de "flash" emitida pelo monstro - vimos na 3ª temporada, quando Kate e Juliet estavam algemadas e se esconderam dele (episódio "Left Behind") - muito se assemelha à luz da caverna? Acho que isso, unido ao fato de que ao "apagar a luz" o MiB perdeu seus poderes, comprova que ele era feito da energia da própria ilha - um misto do espírito do homem que morreu e da energia natural do lugar. Ele era PARTE da própria ilha - uma hipótese para ele não poder sair de lá.


- O Coração da Ilha: Vimos a origem da "Luz" na Ilha, o "Coração da Ilha", quando Desmond desceu na caverna para fazer alguma coisa, para cumprir sua função. Ali vimos o motivo pelo qual Jacob disse para Widmore levar Desmond de volta para a Ilha. Pelas características de energia do local, Desmond seria o único capaz de se aproximar da fonte e transformar a Ilha em um lugar comum, sem características especiais. A origem da energia, da "Luz", tem muito de mitologia. Algo que surgiu com há muito tempo. Não imagino, ainda, como um vulcão pode gerar um campo magnético, mas o esfriamento das lavas e algumas condições do local podem ter causado esse fenômeno.


- A Pedra Fundamental e os Poderes da Ilha: Deixada em seu lugar, no Coração da Ilha, a "Pedra Fundamental" fazia parte dos elementos que dava à Ilha suas características especiais. Sem ela, o MiB perdia sua "imortalidade" e se tornava novamente humana de uma certa maneira. Era isso que ele queria de volta também, não era? Mas foi isso também que o matou... Detalhe interessante é que a "Pedra" tem algumas inscrições, que são bem antigas, com certeza. Provavelmente bem mais antigas que Jacob...


- Os esqueletos no "Coração da Ilha": Quando vimos Desmond entrando na caverna, vários esqueletos estavam jogados nos cantos. Claro que vi por aí algumas pessoas querendo saber quem eram aqueles que morreram na caverna. Sério mesmo!? Mas vimos que as pessoas já buscavam descobrir o que era a "Luz" mas não tinham o que era necessário para conseguir. Interessante também pensar que aqueles esqueletos nos mostram que a "mãe louca" de Jacob não era a única a viver na Ilha. Aqueles mortos podem muito ter feito parte do grupo dela e ela seria a única que nunca tentou entrar e descobrir, já que ninguém nunca voltava. Mas também podem ser corpos de moradores anteriores a ela. Quem sabe, não foram os construtores do Templo ou da estátua...


- Respeito com John Locke: Muito legal ver Jack defendendo a memória de Locke, quando o MiB começa a comentar sobre os "velhos tempos". Teve que ficar quieto quando ouviu de Jack que ele não era Locke e que respeitasse a memória dele...


- O pescoço de Jack: Aquela ferida que alimentou várias teorias foi explicada. Era uma marca feita por "Locke" (luta que você no detalhe seguinte!)...


- Jack Vs Locke: Um pouquinho de humor é sempre bem vindo, né? (Veja mais no Porra LOST! Parabéns e valeu, Catupiry!)


- Os cabelos brancos de Alpert: Nunca alguém ficou tão feliz ao ter seu primeiro fio de cabelo branco. Mas justo, não? Afinal, mais de 140 anos depois, já estava na hora disso acontecer. Certo, Richard!?


- O Ajira: Mesmo com pedações de fitas adesivas, o Ajira conseguiu voar graças ao maior piloto "ever", Frank Lapidus. Junto com ele, Miles, Alpert, Kate, Claire e Sawyer conseguiram sair da Ilha e morrer em um futuro distante. Podemos pensar que Claire ficou com Aaron, Kate e Sawyer ficaram juntos e que Alpert envelheceu e ficou cheio de cabelos brancos...


- Hurley, o Guardião. Ben, o número 2: Hurley assumiu a proteção da Ilha em um dos grandes momentos do episódio para mim. Eu achei sensacional a Ilha ficar nas mãos daquele que sempre foi o personagem mais puro e sincero de todos. E ainda conquistou Ben como seu número 2. Isso me fez lembrar de quando Ben e Hurley ficaram esperando Locke fora da cabana na temporada passada e Hurley dividiu seu chocolate com Ben... Que dupla!


- Aqui começou, aqui terminou. Achei sensacional terminarmos a série com os olhos de Jack se fechando. Embarcamos nessa viagem quando ele acordou em um lugar estranho e sem saber ao certo o que tinha acontecido. No final, ao fechar os olhos, sabemos que a Ilha continua e sua história ainda seguirá por muito tempo...


- A Ilha submersa: Aqui uma opinião sobre esse ponto que foi a única observação que faço sobre algo que gostaria muito de ter visto. Mas eu diria que vimos em parte. Já que quando Desmond acabou com a "Luz", vimos a Ilha começar a se "desmontar", com montes e penhascos caindo. Por um momento acreditei que veríamos a cena do início da temporada. Só que depois de pensar um pouco, cheguei a conclusão que a Ilha submersa nos Sideways era só uma metáfora, uma simbologia para o fato de ter sido uma fase já superada pelos losties. O que tinha acontecido lá, já não fazia mais parte do momento em que os losties estavam.


- Rose e Bernard: Os dois resolveram não se envolver e assim seguiram vivos na Ilha. E lá ficaram, agora sob proteção de Hurley e Ben...


- Vincent! Quando ficamos perguntando onde estava esse cachorro, já podíamos imaginar que os produtores o colocariam em algum momento marcante da série. E como foi marcante! Se ele foi o segundo personagem que vimos na série, aparecendo no bambuzal com Jack, agora ele se deita e fica com Jack em seus segundos finais. Vincent derrubou o ditado de Jack sobre "viver juntos, morrer sozinhos", pois estava lá ao lado do médico... Juro que essa cena me emociona!


Imagens: LOST-Media

Mais uma vez, foi um prazer compartilhar e aprender com vocês...

Grande abraço, stay LOST!

Leco Leite - Juliana Teixeira - Ma Andrade
DHARMA DAY 3 - Dia 30 de Maio, Domingo!
Livraria da Vila - Shopping Cidade Jardim - São Paulo SP

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

.

 
who"s online

counter hit make

PageRank Free counter and web stats