sexta-feira, 15 de maio de 2009

Jacob: o Patriarca

Hey pessoal... que Season Finale hein?

A gente fica até sem saber o que comentar. Eu geralmente me valho das referências bíblicas em LOST [que são muitas] pra tecer meus comentários. E depois desse episódio acredito que seja bastante pertinente tocar no assunto no que tange os dois personagens que aparecem logo na primeira cena. Aliás, muita gente chegou a comentar que aquela cena seria um "resumo" da história toda.
Pois então. Estava eu pensando na ligação/relação entre o
Fake-Locke e Jacob. Eu acredito [e sei que muitos concordam] que o Locke-Vivo e o cara que conversa com Jacob na praia são a mesma pessoa.

Fake-Locke:
Você os trouxe aqui!
Jacob:
Continua tentando provar que estou errado, não é?
Fake-Locke:
Eles chegam, lutam... destroem e corrompem. Sempre termina da mesma forma.

Esse papo inicial me remeteu ao filme
"Cidade dos Anjos" com Nicholas Cage. É um filme bastante interessante. Mas a cena a que me refiro é um diálogo em cima de um prédio entre 2 anjos. Eles conversam entre si analisando as atitudes humanas. Tentando compreender certos atos, equívocos, sentimentos, etc. E se mostram bastante inconformados com o comportamento dos "mortais".

Começo então dizendo que tanto a Bíblia cristã quanto a Torá dos judeus conta que
Jacob [Jacó em português] era irmão gêmeo de Esaú. Logo acho que o hominho misterioso é irmão de Jacob.
Todos devem se lembrar do livro que Sawyer lê na Ilha... se chamava Bad Twin [gêmeo mau].

Voltando... a história de
Jacó é conhecida e importantíssima na formação das "doze tribos de Israel" - uma tribo pra cada filho homem [dentre eles estava Benjamim, mas isso é outra questão hehe]

O lance é que
a história poderia ser diferente. Esaú tinha o que era chamado de "direito de primogenitura", ou seja, o gêmeo que nascesse primeiro ganharia a herança do pai. Seria Esaú o patriarca hebreu mas ele fora ludibriado pelo irmão Jacó [com a ajuda da mãe] a dar-lhe a primogenitura em troca de comida.

Aí um parêntesis: o livro do Deuteronômio conta que jamais se viu irmãos tão diferentes tanto na aparência, quanto no temperamento. Esaú era um homem do campo, cheio de vigor e aventura [moço sério] e Jacó era mais pacato, amigo da casa e da cozinha [fanfarrão].
Foi numa dessas saídas ao campo que Esaú, morto de fome ao voltar, implorou que Jacó lhe desse um pouco do que ele tinha cozinhado. Jacó concordou se
Esaú lhe "vendesse" o direito de primogênito. Esaú no desespero topou. Ele deve ter se arrependido depois porque a partir daí todos os autores bíblicos começaram a tratar o cidadão como "Esaú, O Profano", exatamente por ter renegado sua herança, considerada pelos hebreus como sagrada.
Na verdade, Esaú não se interessava pelas
coisas de Deus. Ele não valorizava o que é sagrado. Não estava nem aí pra essa coisa de "primogenitura". As coisas materiais eram mais importantes - Satisfazer o apetite, por exemplo, era mais importante que obedecer a Deus. Esaú não entendia as coisas sagradas, porque lhe pareciam loucura. Esaú só se interessava pelo presente, ignorando o futuro e as promessas de Deus.
Assim como o "gêmeo mau" da bíblia vemos também no
Fake-Locke uma impaciência... ele já estava de saco-cheio dessa história toda, desse ciclo-sem-fim, a ponto de querer matar Jacob.

A Bíblia nos conta também que Esaú pagou caro pelo desprezo à sua primogenitura: mais tarde, quando tentou
recuperar sua benção foi rejeitado. Ninguém deu uma segunda chance pro cara. Assim também pode ter acontecido com o Fake-Locke, quando o prenderam na cabana...

É aí que penso que talvez essa
rixa entre os irmãos [coisa bastante comum na verdade] seja o início de toda confusão.
Todos os eventos ocorridos na Ilha resultaram de um "capricho" dos "deuses da Ilha" ou algo do tipo...
Jacob em hebraico significa "o que segura pelo calcanhar". Talvez ele tenha feito mesmo algo parecido dando uma "rasteira" no irmão pra tomar posse da Ilha. Ludibriando assim como o Jacob da Bíblia.

Esaú prometera se vingar... foi então que, fulo da vida, convocou um exército de 400 homens e foi de encontro a Jacó. Em Gênesis está escrito que um Anjo visitou Jacó e o avisou da ameaça dizendo: "Eles estão vindo!". Ainda mostra que Jacob temeu muito a visita do irmão e se angustiou com medo de que este o matasse. Então Jacó se prepara para a batalha junto ao seu povo e espera a chegada de Esaú.
A cena final do episódio com o encontro de Ben, Jacob e o Fake-Locke traz um diálogo interessante quando Jacob diz a ele "Você encontrou sua passagem" mostrando que Jacob sabia que mais cedo ou mais tarde os dois se defrontariam novamente, exatamente como predisse o homem na praia quando avistou o Black Rock.

Outro detalhe importante é o grupo da Ilana.
Vimos que ela conhecia Jacob mas no entanto não tinha contato com Alpert.
Bom. Se ambos conheciam a código-secreto-do-clubinho [o que tem na sombra da estátua?] por que ainda não tinham se visto pessoalmente?
Talvez fossem de um
clã diferente. Outra tribo. [prova de que pareciam ser também "nativos" da Ilha é o fato de saberem a localização exata da cabana e também do pé-de-quatro-dedos-lar-de-Jacob.

Enfim. Acho que há a possibilidade de vermos essa questão da irmandade de Jacob e o Fake-Locke.
Por enquanto só nos resta esperar um
bom tempo até a próxima e derradeira temporada.

Estou entusiasmado. =P

Até mais

Alison do Vale


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

.

 
who"s online

counter hit make

PageRank Free counter and web stats