sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Detalhes de "LAX"

É pessoal. Como é bom poder novamente caçar detalhes nos episódios, não?
Tenho certeza que todos estavam sentindo falta então vamos direto ao assunto. O engraçado é que ontem quando conversava com o Leco chegamos a afirmar que não tinha "tanta coisa assim" e que o COMBO mesmo estava na cena inicial, mas a verdade é que LOST é LOST e acabamos encontrando cada vez mais coisas à medida em que revemos o episódio.

Como foi um capítulo duplo resolvi dividir os detalhes em duas partes. Primeiramente os pontos altos propriamente ditos e separadamente apenas as interações entre os personagens nessa "nova realidade" que começamos a conhecer.

___________________________________________


Logo no início temos a famosa cena de Jack no avião, mas já, de cara, notamos algumas sutis diferenças. [Pra ver de forma mais completa veja esse post do Leco com a comparação da cena original na primeira temporada com a deste episódio].
Não demora muito pra percebermos que estamos de frente com um novo tipo de flash: os flashsideways. Apesar de enfrentarem uma turbulência o avião logo se estabiliza e o vôo continua tranquilamente: o Oceanic 815 jamais caiu na Ilha! Mas ao mesmo tempo, noutra "realidade", Jack e companhia continuam exatamente no mesmo lugar, mas dessa vez em 2007.

Vejamos as implicações disso acompanhando essa panorâmica submarina que foi, sem dúvida, uma das cenas mais bacanas da série:

Quando o famigerado tubarão da Dharma apareceu o coração já acelerou, mas obviamente não foi tão atordoante quanto o vislumbre da Otherville submersa.
O que fez com que a Ilha ficasse debaixo d'água? A explosão da Jughead? Talvez isso explicasse a estátua estar destruída. Ou seria resultado de um "girar da roda" movendo a Ilha pro fundo do oceano? E se ela está no fundo do mar em 2004, como em 2007 ela continua intacta? Esses serão um dos vários questionamentos e confusões que as realidades paralelas vão gerar em nossas mentes ao longo da temporada bem como a expectativa de como essas realidades irão coexistir e quem sabe convergir.
O sangue misterioso no pescoço de Jack pode até ser um indício disso. Poderia um acontecimento numa realidade afetar a outra diretamente?

Já na Ilha o episódio começa com a Escotilha implodida. Dessa vez não teve o Desmond nu [=P], mas o choque ainda sim foi grande, principalmente para Kate e Miles que perceberam que a Cisne tinha sim sido construída e eles tinham viajado no tempo mais uma vez.
Se alguém ainda tem dúvidas de que é mesmo a Estação da Dharma é possível ver inclusive a bicicleta ergométrica que Desmond usava.

Também temos um acontecimento triste com uma "despedida formal" de Juliet. Creio que a maioria já esperava que ela tivesse mesmo morrido mas foi legal os produtores darem ao menos a chance de Sawyer dizer "adeus".
Só que como em LOST não há "viagem perdida", a doutora reaparece em cena pra trazer uma revelação muito importante [segundo ela própria] num momento bem novela mexicana. Mas o "Funcionou!" que ela queria dizer ao James só pode ser transmitido por Miles numa mensagenzinha post mortem.

E o que ela quis dizer com isso? A bomba funcionou? Tudo voltou ao normal? Como ela poderia saber disso antes de morrer? De qualquer modo a perda da personagem é algo pra se lamentar. Elizabeth Mitchell sempre foi impecável em seu papel e Juliet tornou-se essencial pra nós na série. Rest in peace.

Se as coisas deram mesmo certo nós ainda não sabemos. Fato é que a guerra que Widmore "profetizara" certa vez parece que chegou em definitivo.
O Dark Locke finalmente se revelou e já não restam mais dúvidas de que ele e o Monstro de Fumaça são o mesmo. Ele chega a afirmar a Ben que "lamenta que tenha o visto assim".

Outra resposta importante foi o artifício usado por Bram para manter o Monstro afastado explicando de uma vez por todas qual era o significado daquelas cinzas em torno da cabana de Jacob.
Por falar em Jacob, ele morreu mesmo. O que torna Hurley peça fundamental nesse momento. Nosso amigo que tem o dom de falar com os mortos é quem recebe suas instruções. Então eles se dirigem ao Templo, seguindo as recomendações do patriarca da Ilha.

Pois é... finalmente vimos como é o Templo por dentro.


E vimos como ficou Montand, um dos integrantes da equipe de Rousseau, que perdeu o braço ao ser puxado para o buraco de entrada do Templo pelo Monstro...


Lá dentro encontramos velhos conhecidos como a Cindy Hipponga, os irmãos Zack & Emma, um novo personagem ainda sem nome [um oriental de caráter duvidoso com pinta de Shang Tsung] e também uma fonte milagrosa.
Aparentemente foi essa fonte que usaram para curar Benjamin Linus ainda criança quando foi alvejado por Sayid. Ironicamente é o iraquiano quem agora necessita de cuidados. Jacob diz que o único modo de salvar a todos é não deixando Sayid morrer mas quando os esforços na fonte são em vão outra coisa me passou pela cabeça: a intenção de Jacob era mesmo manter Sayid vivo? Será que ao perceber que ele já não tinha mais chances de cura, pediu que Hugo o levasse até a fonte para, quem sabe, se utilizar de seu corpo e assim recuperar sua vantagem com relação ao seu Nêmesis? A "ressurreição" abrupta de Jarrah corrobora pra essa teoria.
Pra não passar em branco, ainda no templo Hurley encontra um livro.

O nome do livro é "Fear and Tremblin" [Temor e Tremor, em português]. O nome foi retirado de uma passagem bíblica encontrada em Filipenses 2:12 que diz: "...operai a vossa salvação com temor e tremor". Claro que a história do livro tem muito a ver com a série e com o momento que os losties estão passando. No livro é apresentada a história de Abraão e seu filho Isaac. Na ânsia de testar sua fidelidade, Deus pede a Abraão que este entregue seu filho em holocausto. Este sacrifício provaria que ele era obediente e temente a Deus. É nesse ponto que o livro aborda a fé naquilo que não se pode ver. Abraão é impelido a dar um Salto de Fé. O mesmo salto de fé que Helen sugere à Locke. Devemos aceitar nosso destino e assim confiar que algo maior nos está guardado mesmo quando a situação aparentemente mostra o contrário?

A tensão aumenta no Templo quando Hurley mostra o conteúdo do case do violão. Havia dentro na verdade um Ankh gigante que continha um bilhete; uma espécie de "Lista de Jacob" contendo os nomes daqueles que por Jacob foram "tocados" fora da Ilha.

A Guerra começou e os Outros não estão parecendo muito confiantes.
Fake Locke está se encaminhando em direção ao Templo, levando nas costas Richar Alpert que esteve acorrentado anteriormente segundo as palavras do Smoky. Seria mais um sinal de que Ricardus veio mesmo como escravo no Black Rock?

____________________________________________


Pra finalizar então, finalmente os novos encontros dos personagens.

Destaque para a aparição do saudoso Charlie, dando espaço pro sempre cheio de atitude Sayid.

Também a cena bem humorada de Arzt e Hugo imitando sotaque australiano e dizendo a Sawyer que ele é "um cara muito sortudo".

Como não poderia deixar de ser, James não perdeu a oportunidade de flertar com alguém e a vítima foi ninguém menos que Kate Sempre Fugindo Austen.

Ainda pudemos rever Boone sem Shannon [curioso] dizendo a Locke que se o avião cair "vai ficar na cola dele". Se ele soubesse que não é uma boa ideia...


Por último os 2 encontros mais fabulosos:
Jack e John num diálogo incrível culminando na velha mania do cirurgião querer consertar tudo afirmando que "nada é irreversível" fazendo as vezes do próprio John que na Ilha é o homem de fé.

E uma das maiores surpresas: Desmond no avião. Ao explodir a Jughead Jack se esqueceu que muito mais do que apenas impedir a construção da Cisne, modificar o futuro teria diversos outros resultados. A boa e velha Teoria do Caos. Penso que a frase proferida pelo Doc será vista diversas vezes ao longo da temporada: "Eu te conheço de algum lugar?".

Boa temporada pra todos!

Alison do Vale
Twitter: @menino_magro

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

.

 
who"s online

counter hit make

PageRank Free counter and web stats