quinta-feira, 2 de abril de 2009

Detalhes de "Whatever Happened, Happened"

Bem.. olá pessoal.
Estou de volta, agora pra compartilhar com vocês alguns detalhes do 11º episódio da temporada, que aliás foi excelente.
Já era mesmo esperado que fosse mesmo depois da chocante cena no final do episódio anterior e também pelo trio responsável pelo roteiro e direção: Carlton Cuse, Damon Lindelof e Bobby Roth.
Por ter roteiro dos 2 produtores principais da série também se esperava algo de mitologia. E obviamente teve também. Foi mais uma "pitadinha" mas valeu pra gente ficar imaginando milhões de coisas.
Enfim, vamos ver o que de bacana rolou em "Whatever Happened, Happened".

____________________________

"Ben ainda vivo": Muitos já cogitavam isso. Seja pelo fato dele estar vivo no futuro ou até mesmo porque um único tiro dado por Sayid daria margem pra que o garoto sobrevivesse. E a vida-por-um-fio do pequeno Ben deu o tom do episódio e conduziu o ritmo das atividades que se seguiram. Ironicamente os losties foram obrigados a SALVAR BEN.



"Horace Vs Jack": Goodspeed de cara pareceu não gostar muito do ar "arrogante" do Jack. Líder nato, até involuntariamente o Dr. Shephard toma a palavra, mas esse "falar quando não é chamado" não agradou muito Horace que já demonstra estar com um pé atrás com o Zelador.


"O Pai do Monstro": Kate conhecendo Roger Linus traz um momento interessante; além do susto por se deparar frente-a-frente com o pai de Ben, o diálogo entre os dois me remeteu ao último ARG e o estranho processo de seleção. Parece que Kate Mecânica ou Roger Zelador pouco tem a ver com as "reais habilidades" de cada um.


"Kate ninando": Como o Leco bem lembrou no post do episódio, a música que Kate canta é "Catch a Falling Star" - a mesma que o pai de Claire cantava pra ela quando bebê. Ela pede aos candidatos à adoção de Aaron que eles cantem para o menino; também no brinquedo com aviões no berço de Aaron a melodia da canção é tocada.


"Amigas e Rivais": A relação entre Kate e Cassidy foi marcada por coincidências. Primeiro o "gosto" pela vida dupla. Depois a paixão pelo mesmo homem. Por não ter com quem compartilhar o segredo, a confiança na ex de Sawyer acabou por criar uma amizade entre as duas.


Acredito que quando James pediu que Austen ajudasse a filha, não esperava que seria uma colaboração tão gorda. Por falar nisso, a Oceanic indenizou com "i" maiúsculo os Six. Kate chega a dizer que "não precisou usar todo o dinheiro". =P


"Clementine": Vemos também a filhinha de Sawyer já crescida. Segundo Kate já tem até "atitude". Que ela "puxe" ao pai apenas nisso.


"No observatório": Aqui vemos o ex-trapaceiro agindo como um verdadeiro chefe de segurança procurando desesperado por algum sinal do iraquiano foragido. Pois eu também fiquei me perguntando: "Onde diabos se meteu Sayid?". Teria ele sido já capturado pelos hostis? Duvido que ele conseguisse ficar vagando muito tempo pela selva sem ser pego pelos Outros.


"As chaves": Não fosse essa prova irrefutável de que o responsável pela fuga de Sayid foi Ben [que pegou as chaves do pai], penso que a culpa cairia em Jack já que Horace já está na cola dele.


"I DOn't": Ben precisa de uma cirurgia, Juliet não dá conta sozinha e precisa de Jack pra ajudar. Não, não é reprise da terceira temporada. O mundo dá voltas e a situação se repete.

Mas dessa vez o Doutor não dá a mínima e, pra ele, sendo criança ou não, Ben deve morrer. Kate preferia o "velho Jack". Será que Jack vai mesmo deixar que as coisas simplesmente aconteçam? Parecia até que Locke estava "soprando" o texto pra ele com aquele papo de "talvez a Ilha queira consertar as coisas por ela mesma".


"Prisão Domiciliar": Adorei essa sequência dos "retornados" presos em casa porque trouxe à tona uma discussão que há tempos acontece nos fóruns e também na comunidade da TL. Parodoxo temporal.
Miles e Hurley entram no assunto e realmente a confusão é inevitável. A pergunta "Por que Ben não se lembrou de Sayid?" teria resposta minutos depois com a "explicação" de Alpert sobre o "método de cura".


Então temos a referência ao filme "De Volta Para o Futuro" que foi muito pertinente e até já foi usada por vários fãs [inclusive eu] pra [tentar] explicar essas viagens.

O filme é um clássico de 1985 e faz parte de uma trilogia.
Na história, "mexer" no passado poderia sim alterar o futuro como o protagonista conhecia. Daí o que se seguem são inúmeras tentativas de corrigir o curso da linha do tempo pra que ele "existisse" no futuro.


"Perdendo Aaron": Quando o loirinho sumiu eu gelei. Pensei "será que Ben levou o guri?". Mais assustado ainda fiquei quando vi a loira de costas de mãos dadas com o menino. "pronto, agora Claire também aprendeu o truque com o papai Christian?". E tudo não passou de uma "pegadinha" dos roteiristas mas que serviu pra Kate perceber que não poderia ficar escondendo Aaron pra sempre.


"Vovó": Finalmente vemos com quem Aaron ficou afinal de contas. Faz mesmo sentido que a mãe de Claire cuide do bebê e a motivação de Kate pra encontrar a australiana até me convenceu.


"Salvando Ben": Kate e Sawyer resolvem encontrar Richard Alpert depois da "dica" de Juliet que afirmava que o único capaz de salvar Ben seria ele. Os dois arriscam a própria vida pra salvar Linus no que se aplica perfeitamente ao termo "ironia do destino".


"Encontro com Alpert": Momento de muita tensão. Quando encontram Richard, este afirma que poderia sim salvar Ben mas no momento em que isto acontecesse o menino já não lembraria do acontecido e MUDARIA PARA SEMPRE perdendo sua INOCÊNCIA, tornando-se assim um deles.

Kate assume a responsabilidade do "Sim" e Alpert o leva, contrariando um dos hostis que pergunta se ele não deveria antes consultar Ellie e/ou Charles ao que ele responde que não deve satisfação a nenhum dos dois. [dessa vez Widmore é tratado como Charles e não Jones]
Vale ressaltar que aqui reascende uma dúvida: quem é o líder dos outros? Widmore; Ben; Richard; Ellie; Jacob?


"O Templo": Um dos mistérios recentes mais curiosos é o Templo. Estaria essa "perda da inocência" ligada ao ritual que acontece lá dentro? Impossível não lembrar da alteração de personalidade do grupo da Rousseau.

Por sinal Alpert "respira fundo" antes de entrar com Ben. Parece um ato resoluto de alguém que sabe que ao arrastar a pedra estaria mudando o futuro pra sempre.
"Ben Vs Locke": Pra finalizar, um encontro que sempre traz frases ou momentos memoráveis. Nesse caso foi um "Bem vindo ao mundo dos vivos" vindo de um morto. A expressão de espanto e surpresa de Linus foi impagável.




Bom...
Por enquanto é isso.

Foi realmente muito bom e trouxe um gancho fantástico já que caminhamos pro final da temporada.

Namastê e até mais.

Alison do Vale

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

.

 
who"s online

counter hit make

PageRank Free counter and web stats